Buscar

Chocolate: mocinho ou vilão?

Um chocolate sempre vai bem, não é mesmo? Em sobremesas geladas no verão, quente no inverno ou em formato de barras ou bombons o ano inteiro… não importa como, um bom chocolate tem o poder de transformar um dia.

Se você já sentiu uma estranha sensação de prazer depois de comer essa iguaria, saiba que trata-se de algo completamente normal. Aliás, a ciência explica: o chocolate auxilia a liberação de substância em nosso corpo como a endorfina, serotonina e dopamina (ligadas a sensação de prazer, satisfação e felicidade).


E as vantagens não param por aí. “Ele é rico em minerais como o magnésio e o ferro, além de antioxidantes encontrados no cacau, sua matéria-prima. Estes antioxidantes auxiliam a inibir o acúmulo de LDL no sangue (colesterol ruim). O consumo adequado também pode auxiliar na prática de atividade física, porque gera mais disposição para realizar os exercícios devido à cafeína presente no chocolate” explica a nutricionista Tainá Santos.


Mas então é só sair comendo chocolate por aí que a fórmula da felicidade está resolvida? Calma, calma… não é bem assim. A nutricionista alerta que ele pode sim trazer benefícios, desde que seja de qualidade e consumido com moderação.


Os riscos do excesso


Como já dissemos, é preciso equilíbrio na hora de consumir essa delícia. Caso contrário, o que poderia ser bom acaba virando um problema. “O chocolate possui, na sua composição uma grande quantidade de açúcar e gorduras (principalmente os mais baixos em percentual de cacau), se tornando um alimento calórico - o que pode favorecer o aumento de peso, aumento da gordura na região abdominal e aumento do colesterol ruim”, detalha Tainá.

Então, fique atento(a) para não sair da linha. Tem dúvidas quanto a qualidade e qualidade? Fique tranquilo que vamos te ajudar nas linhas abaixo.



Prefira chocolates com mais cacau


Para essa equação dar resultado positivo é preciso se atentar à quantidade de cacau que aquele chocolate possui. O chocolate ao leite, amplamente consumido nessa época de Páscoa, não traz tantos benefícios ao nosso corpo como aqueles mais amargos. “Os chocolates amargos possuem maior concentração de cacau, e menor quantidade de gordura e açúcar. Dê preferência para o chocolate com no mínimo 60% de cacau. A porção adequada de chocolate é de 20g por dia”, orienta a nutricionista.

Aqui, fica um alerta: gosta de chocolate branco? Melhor cuidar com os excessos! Tainá relata que este tipo possui quantidades elevadas de açúcar e gordura, não sendo tão interessantes para o nosso corpo. Na dúvida, prefira os amargos.


Equilíbrio é tudo


Agora que você já sabe os benefícios e malefícios do chocolate, vale aquela regrinha básica: em excesso, nada é bom. Então, não abuse! Mas, não se prive daquele chocolate em um dia mais ‘cinza’. Afinal, como já dissemos, ele tem propriedades capazes de fazer mágica tanto no nosso corpo quanto em nossa mente. E você... é da turma que não pode ver um pedacinho que já ataca, ou é daqueles que nem sente falta? Conta pra gente! :)


Com a colaboração nutricionista Tainá Santos - CRN 107618 - @nutricionista_taina_santos


28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo